terça-feira, 17 de agosto de 2010

A disparidade da meia-noite

Eu te dei a minha afinação,
esperando em troca reversos seus.
Engasguei-me a ouvir-te,
réplicas de surpresa há mais de cem anos tramadas...

Sei que não faz sentido,
usar de toda a culpa para pedir o perdão!
Enquanto a confiança abalada rasteja,
tréplicas de incerteza fazem malas e partem de casa...

E sentada no berço da lua você estava.
Com toda a estima que podia carregar.

A.A>

Nenhum comentário:

Postar um comentário