sexta-feira, 23 de julho de 2010

Hoje

Era ontem dia normal.
Forçoso, residual e de ordem incomum.
Dia distante do perigo e tão perto da luxuria.
Mas não me lembro à que se submetia.
Gosto quando os dias passam como chuva.
Sem gosto, sem ideais, sem tristeza.
Oh, como minha alma clama por um temporal!
Que molhe todas as flores secas.
Ontem mesmo, os vasos se partiram.
As flores cresceram de tamanha ternura.
Foi um dia de sol.
Hoje mesmo é um dia que vai ser ontem.
Faça chuva ou faça sol, vai passar.
Pra que eu diga que hoje é ontem novamente

A.A>

Um comentário: