quinta-feira, 29 de abril de 2010

O fedor esplêndido dos bordeis políticos

Meus pés e mãos estão cansados.
Não é o meu fim.
Sei que caminham por vielas pés sem calçados,
e tantas mãos sem trabalho.

Estou quase sempre sem grana!
O dinheiro não passa de uma vertigem,
de uma solução bem-vinda em qualquer época do ano.
É um simples pedaço de papel ao qual temos que dar valor.

Maldito dinheiro! Que para alguns é tudo!
Aluguel, prestação, futilidades, vícios, diversão...
Na verdade é uma mentira sem retrocesso:
Malditas sejam as moedas também!

Os comunistas fedem!
Alguns capitalistas se atiram de prédios enormes...
E indivíduos sem atitude político-financeira,
estão a procurar por brechas nos sistemas.

Nem Marx, nem Ford:
Ambos foram apenas ‘escravos’ de seus anseios sociais,
e se esqueceram de algo um pouco importante.
(Que vai além do bem estar cívico)
Não era para sermos livres?
Termos tempo para a família, educação e lazer?
Dignidade sem tantas leis autônomas e anormais?
Alguma espécie de controle remoto que nos proporcionasse: ‘voz’?
Nada disso!

Os sistemas erraram em suas doses não letais (enganos acontecem).
Sorte o acaso de quem ainda se preocupa, nem que seja pouco;
A liberdade pode ser comprada:
Basta um ticket de autoconsciência.
Deram-nos o direito de ter uma arma.

A.A>

Nenhum comentário:

Postar um comentário