sexta-feira, 16 de março de 2012

Ritual de trâmites tortuosos

Jesus foi preso a uma cruz; um papa se calou.

Monet pintou o céu; algum deus comprou.

Rousseau explicou o homem; a sociedade usurpou.

Freud olhou para a razão; o ego visionou.

Galileu provou da laranja; O fogo flambou.

Hemingway viveu histórias; a memória o matou.

Bukowski foi um marginal; Sartre elogiou.

Adão caiu do pé de uma árvore; o diabo se aproveitou...

O mundo continua, apesar de toda a farsa.

Ninguém é indispensável.

Somos todos vistos pelos olhos de outrora.

Seguramos um molho de chaves para muitas portas fechadas.

A perfeição mora aonde não se existe lugar.



A.A>

Nenhum comentário:

Postar um comentário