segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

ngn é de ngn

Nem na coberta ou na cerca
Onde se dá qualquer virtude
E pessoas fingem que se entregam
Não há como ser dono um do outro
Nós não somos cachorros – de verdade
Quem nos dera ser a metáfora que usamos
Estamos tão bloqueados pelo outro olhar
Carregamos nos bolsos meia dúzia de identidades
Porque tentamos ser a verdade
Um para o outro
Mas não somos um do outro
E longe estamos de sermos livres
E mais ainda quando pensamos no amor
O nosso caso é o acaso desprendido de cumplicidade
Mesmo assim imaginamos um crime mágico
Doloso de tanta autopiedade e cheio de palavras vazias
A nossa trama acaba quando nossos dicionários se engasgam
E não existem mais sinônimos para se comprar um ao outro.





A.A>

Um comentário: