domingo, 9 de outubro de 2011

Coma idealista

Quando olho para o espelho e vejo pedaços

Ossos e pontas,

Karmas e dores,

Drogas e fugas,

Sabedoria e auto-subversão,

Tristeza e falta de fé...


Enxergo a minha total decadência se firmando

Roland Deshain de Gilead se definhando...

Pessoas perguntando

Pessoas se afastando

Pessoas praguejando:

Sinceramente não importa mais.

(O fim na jornada me é familiar)



[Esqueça o espelho.

Foi tudo repetitivo, não?

Foi, e essa é a meia verdade que eu consigo contar.

A outra metade é omissa por natureza.]


Se quiser me machucar basta apertar minha mão

Esquece de tentar ferir meu coração.


(All of you)



A.A>

Nenhum comentário:

Postar um comentário